quinta-feira, abril 29, 2010

Número um, é verdade.



Sempre que o adepto catalão vai à bola, nunca vai à bola literalmente. Vai por translata patologia. Vai para compensar o seu complexo de inferioridade. Daí a constante má educação. Daí a fanfarronice. Daí o mau perder. Ontem, o José mostrou quem é e de uma assentada transformou o futebol numa ironia suprema: com o mais defensivo esquema táctico da história da Liga dos Campeões, o Inter arrumou com a arrogância dos atrasados mentais de Camp Nou, com a sua esperança vingadora de uma vitória do Barcelona em Santiago Bernabeu, com o jeitoso do melhor jogador do mundo e com a má língua da imprensa italiana. Mourinho, no entretanto, ganhou um emprego novo, precisamente em Madrid, onde neste momento é simplesmente venerado como um deus. Que pinta.

sábado, abril 24, 2010

Blogville Variações | Lord Byron

POR ESTES CAMINHOS NÃO IREMOS ADIANTE
Por estes caminhos não iremos adiante,
para dentro, assim, da noite tardia.
Mesmo que o coração permaneça amante,
E que a lua brilhe em sintonia.

Porque a espada a sua bainha supera,
E a alma o peito transcende,
E o coração p'ra respirar faz espera,
E o próprio amor do descanso depende.

Mesmo que a noite seja a amante
e que os dias regressem madrugais,
por estes caminhos não iremos adiante
à luz da lua nunca mais.


SO WE'LL GO NO MORE A-ROVING
So we'll go no more a-roving
So late into the night,
Though the heart still be as loving,
And the moon still be as bright.

For the sword outwears its sheath,
And the soul outwears the breast,
And the heart must pause to breathe,
And love itself have rest.

Though the night was made for loving,
And the day returns too soon,
Yet we'll go no more a-roving
By the light of the moon.

Contribuições para o fim da Terceira República.

I - A educação do regime
Nos infelizes dias que correm, uma criança de 13 anos que tenha sido submetida a uma escola pública, não sabe nada de nada. Não sabe de aritmética, não sabe de gramática, não sabe de história, não sabe de ciências. Mas deve saber, segundo ordena o programa do Ministério da Educação para as actividades extra-curriculares, em que posição sexual a mulher tem mais prazer. A prioridade estratégica de Cavaco, a paixão de Guterres, o triunfo de Sócrates é isto.

2 - A equação do regime
Um Presidente da Câmara X contrata a uma empresa Y um serviço K por N milhões de euros. O Presidente X sabe que não tem os milhões N, mas não se interessa disso. Adjudica a obra, que o imortaliza. E depois, muito simplesmente, não paga à empresa Y. A empresa Y não recebe pelo serviço prestado a uma entidade pública, mas ainda assim tem que pagar ao Estado os impostos das facturas correspondentes. Se a empresa Y não paga os impostos a tempo, paga juros superiores aos que são praticados pelo mercado; se não os paga de todo, é penhorada e levada à falência pelo Ministério das Finanças. Se conseguir sobreviver a este desastre, o mais provável é que a empresa Y se veja obrigada a despedir um número indeterminado Z de empregados, cujo subsidio de desemprego vai ser pago por um escasso grupo H de espoliados que conseguem permanecer empregados no reduzido número W de empresas que o Estado ainda não conseguiu levar à falência. No entretanto, o Presidente da Câmara X é reeleito ou é promovido a ministro, ou a primeiro-ministro ou a presidente da república ou a administrador da Caixa Geral de Depósitos ou simplesmente vai à vida dele, como se nada fosse. Esta é a equação moral do Estado a que as coisas chegaram.

3 - O idealismo do regime

Num dado Centro de Emprego, a média salarial dos funcionários que lá trabalham é inferior à media dos subsídios que este organismo atribui. Quem trabalha recebe menos do que quem não trabalha. Este é o Estado solidário, o Estado humanista, o Estado socialista da Terceira República.

4 - A voracidade do regime

A Terceira República tem 36 anos de existência e 18 governos constitucionais de duração. Mas não tem registo de um Orçamento Geral do Estado que reduzisse a despesa pública. Nenhum dos 18 governos soube gastar menos dinheiro. Ao contrário, os impostos foram aumentados directa ou indirectamente em 27 orçamentos. Esta é a voracidade, a ganância, a desfaçatez do regime.

4 - A justiça do regime
Um desgraçado qualquer é acusado pelo ministério público de fraude fiscal. Depois de 1 ano de encarceramento preventivo, é levado a tribunal para um processo que vai durar mais 3 anos. No fim, apanha mais 6 de prisão, que é por causa das tosses.
Um desgraçado qualquer assalta uma bomba de gasolina à mão armada. Se alguma vez for identificado e capturado e acusado, sairá em liberdade condicional logo depois. Passados uns poucos meses será julgado em três sessões e condenado a dois anos de pena suspensa.
Esta é a lógica judiciária do Estado.

5 - A ética do regime
Para evitar o incómodo da contra-opinião, o primeiro-ministro decide usar dinheiros públicos para domesticar a imprensa privada. É apanhado com a boca na botija, mente com quantos dente tem. E sobe nas sondagens. Este é o Estado que elegemos.

Blogville Variações | William Blake

O TIGRE

Tigre! tigre! que brilhas na furna

Da floresta nocturna,
Que gesto, que olhar imperecível
Pode moldar a tua simetria temível?

Em que distante céu ou fundo mar
Arde a chama do teu olhar?
Em que asas lançar-se ousou
A mão que esse fogo cercou?


Que ombros fortes, que artes sãoPrecisas à musculatura do teu coração?
E quando ele começa a bater
Que terríveis mãos e pés vêm a ser?

Com que martelo, com que corrente,
Em que fornalha se fundiu tua mente?
Em que bigorna medonha foram batidos
Os mortais terrores que guardas cingidos?
Quando as estrelas lançam o seu manto
E lavam os céus com esse pranto,
Perante a sua criação é Ele que sorri?

Ele que criou o cordeiro, criou-te a ti?
Tigre! tigre! que brilhas na furna
Da floresta nocturna,
Que gesto, que olhar imperecível
Pode moldar a tua simetria temível?


Canções da Experiência - 1794


THE TYGER

Tyger! Tyger! burning bright

In the forests of the night,
What immortal hand or eye
Could frame thy fearful symmetry?
In what distant deeps or skies
Burnt the fire of thine eyes?
On what wings dare he aspire?
What the hand dare sieze the fire?
And what shoulder, & what art,
Could twist the sinews of thy heart?
And when thy heart began to beat,
What dread hand? & what dread feet?
What the hammer? what the chain?
In what furnace was thy brain?
What the anvil? what dread grasp
Dare its deadly terrors clasp?
When the stars threw down their spears,
And watered heaven with their tears,
Did he smile his work to see?
Did he who made the Lamb make thee?
Tyger! Tyger! burning bright
In the forests of the night,
What immortal hand or eye
Dare frame thy fearful symmetry?
Songs Of Experience - 1794

quarta-feira, abril 21, 2010

Quatro meses de silêncio, quarenta histórias por contar.

1. Descartes dormia sempre até às onze da manhã. Dizia ele que ficar na cama era a melhor maneira de exercitar o pensamento abstracto. Eu concordo.

2. Reportam "As Farpas" que o acontecimento elegante do mês de Agosto do ano de 1871 foi uma tourada que a mocidade fidalga de Sintra organizou em favor dos pobres daquela vila. Assistiu El-Rei e a Corte. Os touros eram bravos e os lidadores destemidos. A imprensa fez escândalo por causa dos resultados financeiros do evento, que achou parcos.
Conta da nobreza com os mendigos de Sintra:

Produto do espectáculo - 1.082$440

Despesa feita - 945$980

Deve a nobreza aos mendigos - 136$46
0

"As Farpas" não percebem a ira nos jornais. Suponhamos que a audiência tivesse registado metade dos números.
Conta dos mendigos de Sintra com a nobreza:

Produto do espectáculo - 541$220
Despesa feita - 945$980
Devem os mendigos à nobreza - 404$760

Neste caso, sim, poderia a imprensa clamar por sangue!

3. Nos velhos tempos da República Romana
, a um advogado que fizesse vencer a sua causa, era permitida a apropriação dos cargos e dos títulos do seu oponente. Meritocracia selvagem. Eu concordo.


4. Aceleram as partículas
no Atlas do CERN:
Collision energy is 7 TeV (3.5 + 3.5) Total Collisions (at 7 TeV) = 21,600,000

5. Bandas do momento
: Noah and the Whale, The XX, Voxtrot, Metric, The Airborn Toxic Event, Wild Beasts, Femme Fatale, The Subways, The Courteeners.

6. Às vezes, em Portugal, até o ar cheira a estupidez.


7. Erro
Ò Pessoa, francamente:

"O melhor do mundo são as crianças"?
Achas realmente?
Olha que nem parece teu.

Vê-se logo que nunca tiveste d'esperanças

e que lá no fundo és ateu.

Então o catraio aos gritos
por causa de uns bolitos

na pastelaria da agonia,
é substância agora

da tua poesia?

Se exageraste no absinto, homem,
deita cá para fora
!
Mas não cuspas na sopa do dia.


8. O homem tem um sonho: fazer dos EUA uma grande Islândia. É por isso que Barack Obama corre o risco de ficar para a história como o pior presidente da história.

9. E o GranTurismo 5 que nunca mais sai, senhores!


10. A mulher de Mozart
viveu o suficiente para ser fotografada.

12. O que é que José Sócrates precisa de fazer para deixar de ser Primeiro Ministro (de A a Z)?

a) Pegar numa UZI e assaltar uma bomba de gasolina;
b) Levar Portugal à banca rota;

c) Ter um ataque cardíaco na meia maratona da Póvoa do Lanhoso;
d) Cuspir na Cara do Presidente da República;
e) Erguer um monumento à sua pessoa na praça de Lisboa onde outrora se encontrava erguido um monumento ao Marquês de Pombal;
f) Mandar matar a Manuela Moura Guedes;

g) Ajudar o Godinho a fugir da prisão;
h) Fazer "caralhinhos" na Assembleia da República;

i) Concorrer ao "Mostra que Sabes Dançar";
j) Mandar prender o Pacheco Pereira;
k) Mandar prender o Manuel Alegre;
l) Deixar-se apaixonar loucamente pela Manuela Ferreira Leite;

m) Sair do armário;
n) Nomear Armando Vara para Ministro das Finanças;

o) Nomear Augusto Santos Silva para Ministro dos Negócios Estrangeiros;

p) Comprar a CNN com as receitas do IVA (se chegarem);
q) Engordar vinte quilos e apresentar-se em público de fato de treino e pochete;

r) Enfiar dois ou três pontapés na boca do Francisco Loçã;
s) Aparecer completamente embriagado na Comissão de Inquérito, acabando por vomitar sobre os inquisidores;

t) Fechar todos os hospitais públicos do País;

u) Aumentar o IVA para 35 por cento, o IRS para 70% e o IRC para 90%;
v) Cumprir a alínea anterior, mas reduzindo o IRC da banca para 3%;

x) Escravizar todos os professores do país;

z) Substituir o Cristo Rei por uma ventoínha daquelas ecológicas de que ele tanto gosta.

11. Grande malha: 13. O José Mourinho é grande.

14. Morreram mais americanos na Guerra Civil do que em cada uma de todas as restantes guerras que os Estados Unidos travaram.


15. Mad Man Rocks.


16. A Matéria Negra da Luz dos Media
de Dara Birnbaum, está instalada em Serralves. É perversa e é genial.
17. Grande malha:
18. Ser uma alface entre tripas é melhor do que parece.

19. Não gosto do FaceBook. Lamento imenso, mas não gosto nada daquilo. Não consigo perceber para que é que serve. Não consigo perceber a atracção. Não consigo suportar aquele convíviozinho estéril, parametrizado, impertinente, fútil, intriguista, plastificado, narcótico, metediço, palerma, inócuo, incómodo e comezinho do "o que é que estás a fazer agora" e do "testa a tua inteligência emocional" e das fotografiazinhas partilhadas e dos auto-retratinhos alternativos e dos auto-retratinhos eróticos e o diabo que os carregue a todos. Não gosto mesmo nada daquilo.


20. Portugal integra a lista dos 20 países com melhor qualidade de vida no mundo. É o 14º mais pacífico e o 13º mais globalizado (Dados ONU ).


21. Melhor clube de rock do planeta: Rende-Vouz - Electro Rock Club, nas Galerias Paris - Porto.

22. Poetas do momento
:
Tu não procures - não é lícito saber - qual sorte a mim qual a ti

os deuses tenham dado, Leuconoe, e as cabalas babiloneses

não investigues. Quão melhor é viver aquilo que será,

sejam muitos os invernos que Júpiter te atribuiu,

ou seja o último este, que contra a rocha extenua

o Tirreno: sê sábia, filtra o vinho e encurta a esperança,

pois a vida é breve. Enquanto falamos, terá fugido

ávido o tempo: Colhe o instante, sem confiar no amanhã.

Horácio - Odes
23. Estou à espera que cheguem os extra-terrestres.


24. Para não ficar atrás da glória de Pompeu (e mesmo só por causa disso), que já tinha morto para lá de uns 6.000 desgraçados, Crasso mandou crucificar os cinco mil escravos que restavam vivos da revolta de Espártaco. Como tinha amor pela cenografia, espalhou-os pela Via Apia. Quem se dirigisse a Roma por esta estrada, percorria os últimos seis quilómetros de viagem entre cruzes ensanguentadas e cadáveres a apodreder. Roma não perdoa.


25. Romancistas do momento:
2666 é um romance sobre tudo. Sobre a guerra e a paz, sobre mulheres assassinadas e críticos literários, sobre boxe e sobre amor, sobre romancistas e sobre músicos, sobre polícias e ladrões, sobre a América do Sul e sobre a Alemanha, sobre os nazis e sobre as suas vítimas, sobre jornalistas e sobre sonhadores, sobre traficantes de droga e sobre pais de família, sobre sexo e sobre tortura. Em mil e poucas páginas, Roberto Bolano vai a todas, na sua ambição demente de romancear a vida inteira. Há qualquer coisa de Borges e de Homero, aqui. Há vestígios de eternidade neste livro.

26. Este jogo é uma loucura.

27. E ainda há turistas?

28. A Tragédia Blockbuster. Num outro dia, olhei para a televisão e estava lá dentro um rapazinho esperto a dizer com a convicção dos rapazinhos espertos que, no que diz respeito aos direitos de autor, a vontade da maioria tem que prevalecer. A maioria, claro, não vive de direitos de autor, porque a maioria nunca criou nada na vida, a não ser o desgosto das fezes e
a moléstia da prole. A maioria, claro, quer música à borla e cinema à pala e isso tudo. A maioria acha que tem direito a tudo isso. Mas não tem. A maioria está enganada e o rapazinho esperto também. Tudo se paga. É uma regra da termodinâmica. É um preceito cósmico. Que o digam os desempregados da outrora próspera casinha multinacional de distribuição de cinema para consumo doméstico. E ao contrário: não pensem os senhores da Apple e da Amazon que vão escapar ilesos por venderem livros electrónicos ao preço das obras em papel. A ganância traz castigo e quanto mais despropositadamente caros forem os livros mais eles vão circular piratas pelos downloads do desbarato. Tudo se paga, meus amigos. É uma constante universal.

29. O jornalista que não é.
Miguelito, o jornalista, está sentado na cadeira do entrevistador e entrevista o imbecil de serviço. No meio da entrevista, muda para a cadeira de colunista e tece uns comentários de colunista. Depois volta para a cadeira de entrevistador, não sem prometer já de seguida uma visita à cadeira de escritor, que está expectante, ali ao lado. Até ao fim do programa, há-de sentar-se na cadeira de adepto do Futebol Clube do Porto, na cadeira de Membro da Comissão Lisboa para as Pessoas e na cadeira do irreverente-socialista-de-gema.
Convenhamos, são muitas cadeiras para um programinha só. Sossega Miguelito, que jamais ficarás de pé.
30. Grande malha:

31. Sabedoria Oriental: de nada vale tentar ajudar aqueles que não se ajudam a si mesmos.

32. Vendia a alma ao diabo
para ter um.


33. Leio na capa da Focus isto: "O planeta afunda-se
". É por causa dos terramotos e das tempestades e dos vulcões e do aquecimento global e etc. O grafismo, de grande sensibilidade artística, mostra o planeta terra envolto numa elipse hidráulica de esgoto. Devo dizer que a revista que prefiro molestar é a Sábado. Mas esta capa da Focus é tão manhosa que brada aos céus. Vender medo é o negócio do Século e vale tudo, até tirar olhos à razão.

34. Romancistas do momento
:
"O caso, Sire - continuou - É que carregámos juntamente com eles contra os canhões, quer dizer, daquela maneira, e depois, enquanto eu reagrupava os meus cavaleiros, eles continuaram a correr como lhes apeteceu em direcção à povoação, mesmamente atrás dos russos, e atravessaram-na de ponta a ponta, assim, abaloando dois esquadrões de cavalaria cossaca.
- Abalroando, Murat.
- Bom, Sire. Abalroando ou abaloando, o caso é que limparam o sebo aos russos. Foi, quer dizer... - O caracóis franziu o sobrolho, procurando uma frase que resumisse graficamente o espectáculo - Foi osmérico.
- Osmérico?
- Sim. Sabeis, Sire: Osmero. Aquele general zarolho que conquistou Tróia. O dos elefantes.

Arturo Pérez-Reverte - A Sombra da Águia

35. Poetas do momento:
Desde que é rectangular
que esta pátria ultramarina
tem andado a ameaçar
ruína.

Traiu rumos (bem remotos!)
que a tornaram opulenta.
- E de mortos, só de mortos
ela agora se sustenta...

E a confiança, o conforto
- ou réstea que d'eles reste... -
já de pouco hão-de valer

a um Povo, como este,
que anda morto
por morrer...

Rodrigo Emílio
- Soneto de Requiem

36. Newton comeu Leibniz. Quem é o pai do Cálculo, Newton ou Leibniz?
Não interessa realmente. Interessa o que fica para a história e para a história fica que o Cálculo foi parido pelo génio matemático de Newton e que Leibniz se limitou a plagiar. Quem é que escreveu a história neste caso? A Real Academia das Ciências. E quem é que era o presidente da Real Academia das Ciências quando Leibniz é acusado de plagiar Isaac Newton? Isaac Newton. Ao sábio que ambiciona um lugar na posteridade, não lhe basta ser sábio. Tem que fazer política.

37.
Sabedoria oriental: Acende uma vela, antes de amaldiçoares a escuridão.

-->
38. Poetas do momento:
I think continually of those who were truly great.

Who, from the womb, remembered the soul's history
Through corridors of light where the hours are suns
Endless and singing. Whose lovely ambition
Was that their lips, still touched with fire,
Should tell of the Spirit clothed from head to foot in song.
And who hoarded from the Spring branches
The desires falling across their bodies like blossoms.

What is precious is never to forget
The essential delight of the blood drawn from ageless springs
Breaking through rocks in worlds before our earth.
Never to deny its pleasure in the morning simple light
Nor its grave evening demand for love.
Never to allow gradually the traffic to smother
With noise and fog the flowering of the spirit.

Near the snow, near the sun, in the highest fields
See how these names are fŠted by the waving grass
And by the streamers of white cloud
And whispers of wind in the listening sky.
The names of those who in their lives fought for life
Who wore at their hearts the fire's center.
Born of the sun they traveled a short while towards the sun,
And left the vivid air signed with their honor.

Stephen Spender
39. Continuo à espera que cheguem os extra-terrestres.


40. Até que enfim, Benfica.

Primeiro e glorioso post de 2010!



Noah and the Whale | "Love of an Orchestra"