domingo, novembro 18, 2012

2084

Photobucket

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Não há mães que se despeçam dos filhos que partem para a guerra nas Colónias de Marte.
Há muito que cessaram as pessoas de morrer e,
por decreto unânime do Movimento de Intervenção para o Controlo Demográfico,
Há muito que cessaram as pessoas de nascer.
No Programa Universal dos Direitos dos Mamíferos Superiores está escrito:
"A gravidez é a suprema humilhação da mulher.
O mandato supremo da Revolução é libertar a condição feminina do seu jugo
Criador."

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Há mais drones que soldados - A República Popular dos Estados Italo-Iberos
É constitucionalmente obrigada
A manter os seus soldados vivos,
Como no início do Século
Ainda existiam nações constitucionalmente obrigadas
À despesa.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Também lançam mineiros para Io e arquitectos para a Lua e engenheiros para Enceladus.
O Comité para a Gestão da República (CGR) pretende enviar para o espaço,
Nos quinze anos do seu mandato,
Vinte e cinco milhões de Cidadãos.
Mas a Autoridade Autónoma de Lisboa-Amadora gasta mais
Quarenta e cinco mil Castros por passageiro
Do que aquilo que foi previsto no Plano Quinquenal.
O CGR já destacou uma Comissão Liquidatária.
O Directório Para a Informação Independente informará sobre as Resoluções.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Foram instaladas as devidas estruturas comerciais,
De acordo com o Plano de Governação Para o Distrito Autónomo de Lisboa-Amadora
Aprovado on-live por 0.8% do Colégio Eleitoral Revolucionário e a saber:
Um Estação de Lotaria da Carne de Vaca.
Uma Estação de Degustação Virtual de Delícias do Mar.
Uma Loja do Cidadão Minoritário;
Uma Loja Tributária da Revolução
(Que incorpora o novo sistema de detecção remota de desertores fiscais
E rebeldes do Racionamento Sistemático);
Um Mercado Municipal Para a Livre Troca de Denúncias
(Que oferece 10 digidomésticos por dia);
Uma Unidade de Saúde Sigmund;
Um Lar de Acolhimento Para Mamíferos de Líbido Incontrolável;
Um Arsenal Alimentar Para a Cidadania;
O Centro de Jogos Para Cidadãos Sem Ocupação Profissional;
O Sindicato dos Jornalistas e da Mensagem Revolucionária;
O Complexo Abortador da Sub-Região Damaia-Sintra;
A Embaixada do Império Sino-Soviete (Renovado);
Três Notários da Solidariedade Pública;
A Vigésima Quarta Eco-Esquadra;
A Décima Segunda Unidade de Esterilização do Distrito Autónomo de Lisboa-Amadora
E a Quinta Adega Oficial das Farmácias,
Com estrutura anexa para fornecimento gratuito de Cloridrato de Fluoxetina (1200 mlgs.).

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Há uma Universidade Para a Afirmação Trans-sexual;
Uma Escola Prática Para o Aperfeiçoamento das Técnicas Anti-Policiais;
Um Teatro Geral de Expressão Muçulmana,
Com Centro de Estudos Palestinianos Aplicados À Luta Contra os Valores Judaico-Cristãos
E um Politécnico Para a Re-educação e Erradicação do Enriquecimento Individual.
Está ainda prevista a edificação no local de:
Quatro Quiosques Quânticos de apoio a utentes com Perda Total de Identidade;
Dois monumentos virtuais que prestam homenagem ao Terrorista Desconhecido
E às Vítimas da Heroína;
Uma Delegação do Ministério para a Erradicação da Diferença entre Géneros,
Com bloco cirúrgico e gabinete de apoio psicológico.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Cumpre-se com rigor a Lex Naturalis Reciclae do Ultimato Sueco
E as normas ambientais do Tratado Quioto/Vladivostok de 2032 (aumentado)
Foram aplicadas exemplarmente.
A concessão de superfície a organizações que comercializam
Produtos agrícolas e/ou pecuários
É estritamente proibida, de acordo com Acto Popular de 2065,
Ratificado pelo Parlamento Solidário da Revolução, em 2072.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Respeita-se o Concílio Ortográfico dos Idiomas Nativos da América do Sul
E o Protocolo de Obediência Às Práticas Culturais do Império Sino-Soviete (Renovado).
Estão em prática todas as recomendações 
Do Conselho da Revolução Para a Discriminação Positiva.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Foi reservada uma área de 26 novos-metros de largura 
Por 14 novos-metros de altura,
Onde a Neo-Realista Radical Maria Eisenstein, Prémio La Passionaria da Paz Igual,
Denuncia, em mural inspirado, os vícios do modelo familiar arcaico-reaccionário
E as virtudes da masturbação on-live.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Tudo foi realizado em nome do capitalismo público, do bem-estar social,
Do anarco-sindicalismo (revisto), da igualdade entre povos e cidadãos
e dos ideais revolucionários.
E é por isso que a Organização Sindical da Opinião Pública Instituída em Tempo Real,
Tanto como o Banco da Revolução, Desenvolvimento e Emprego
Já manifestaram, em sede de CGR, o seu repugno pela acção criminosa
Dos primeiros, últimos e únicos responsáveis pela falência técnica da Operação -
Agentes-não-gratos da classe média, traidores, corruptos e fornicadores da carne,
Que têm usurpado com malícia burguesa a direcção sustentável
Da Brigada Para a Governação Logística da Plataforma de Lançamento de Lisboa-Amadora.
O CGR já destacou uma Comissão Liquidatária.
O Directório Para o Desenvolvimento Igualitário das Regiões implementará as Directivas.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Os cães que estacionam as pulgas e a fome nas plataformas de embarque
Não são incomodados, ao abrigo da Lei Protectora de Animais e Homens de 2030.
E os gatos selvagens devoram os turistas que restam
Depois do Acto Popular Contra o Turismo Cósmico de 2051.

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Os problemas de segurança pública foram resolvidos ao abrigo
Do Artigo Sexto do Código de Despenalização e Cidadania de 2082,
Que reduz, controla e tributa
O trânsito de utentes portadores de bens de valor acrescentado,
De forma a eliminar situações de conflito social.
Esta lei veio complementar o Acto Popular de 2074 e o Decreto Solidário de 2079
Que estipularam normas de traje em espaço público,
Com a finalidade de corrigir excessos na indumentária
Dos cidadãos de religião cristã e raça branca (latinos, eslavos e caucasianos).

Na Gare de Lançamento de Alfragide
Embarcam os renegados, os condenados, os impenitentes,
Os inadaptados e os inadaptáveis, os párias da Revolução.
Embarcam para o exílio-odisseia da condição individual.
Partem iguais para penitenciárias diferentes.
Partem do zero para os números de um destino inumerável,
Partem para nunca mais,
Os que vão para não voltar,
Os que vão finalmente morrer,
Os que vão enfim ter filhos
E prosperar
Para outro mundo.
Para a possibilidade de um mundo novo.

E não há mães, com lenços brancos e saudades
E não há impérios, com monstrengos e tempestades
E não há epopeias nem há restelos
E não há jovens nem velhos
E não há esperança nem fé.
Com o regresso da maré,
Projecta-se para fora de órbita o mal que aqui reside.
E não há glória nem memória na Gare de Lançamento de Alfragide.