sábado, agosto 20, 2011

Rocketville #0_Código Postal ou o elogio do foguetão.

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Sonho com o dia em que deuses astronautas me elevem da terra,
À boleia de um opiário sideral.
Não me importa o destino nem o improvável regresso ao planetário natal.
Não quero saber das saudades:
Nas profundezas do espaço hei-de encontrar Portugal.
Anseio por que me raptem lagartos indígenas de galáxias obscuras,
Mestres e divindades e imperadores das alturas,
Almirantes rendidos às forças do mal,
Astronautas que me elevem da terra, numa boleia sideral.
Sacrifico-me às piores torturas, à agonia das imponderabilidades
E ao esquecimento final;
Quero é partir foguetão, com tonturas e fatalidades de inércia astral!
E não me venham com as saudades:
Há um cosmos de localidades
E eu, com mil diabos, hei-de encontrar Portugal.